Como eu consegui me livrar de tarifas, taxas e anuidades bancárias em 2 passos

No post anterior, falei sobre a importância de mitigar os custos envolvidos nas operações em bolsa de valores e como isso é importante para o investidor iniciante. Mas de que adianta procurar uma corretora que não cobra taxa de custódia sobre as ações e pagar R$20 em mensalidade do pacote de serviços do seu banco que você nunca vai utilizar?

Créditos da imagem: fotolia.com

Créditos da imagem: fotolia.com

Façamos uma conta rápida e conservadora. Se alguém pagar R$10 de mensalidade de pacotes de serviços de conta-corrente no banco, mais R$60 de anuidade no cartão de crédito, mais seis operações de DOC/TED no valor de R$7 cada durante um ano, este suposto azarado terá desembolsado R$222 somente com taxas bancárias, em um único ano.

Este valor certamente seria mais que o suficiente para cobrir todas as despesas e custos operacionais anuais de um investidor que se utilize de uma boa corretora de valores para investir no Tesouro Direto, Ações, ETF’s e Fundos Imobiliários. Ou seja, ao invés de “perder” o dinheiro para o banco de varejo e receber serviços que você não utiliza ou poderia conseguir de graça, o cidadão estaria utilizando estes mesmos valores para pagar os custos operacionais que permitirão efetuar investimentos importantes para o crescimento do patrimônio. É como se você se tornasse um super-heroí das finanças e estivesse “salvando” dinheiro que iria para o lixo e o direcionasse para algo mais útil e produtivo. E esta é uma estimativa “camarada”, normalmente os valores praticados no mercado ultrapassam bastante os R$10 na mensalidade da cesta de serviços e os R$60 de anuidade do cartão de crédito.

Mas como eu posso me livrar destas tarifas?

Simples, eu consegui sem muito esforço. Você também consegue, basta juntar um pouco de vontade e tempo.

Primeiro: Livre-se do seu pacote de serviços ou escolha aquele que melhor se adequar a sua realidade. Existem diversas opções nos bancos de varejo para driblar a mensalidade de manutenção da conta-corrente. Destaco a conta-salário, contas digitais e a conta de serviços essenciais. É bem provável que alguma destas modalidades seja adequada para você, e se não for, escolha um pacote que seja condizente com o seu relacionamento com o banco. Eu, particularmente, sou fã das contas digitais (oferecidas por Itaú, BB e Bradesco), que além de serem isentas de mensalidade também permitem a realização de número ilimitado de operações via canais eletrônicos (internet, auto-atendimento, telefone), incluindo DOC/TED sem pagamento de nenhuma taxa adicional. Outra grande vantagem que eu vejo na conta-digital é que depois que eu migrei para esta modalidade, nunca mais tive que comparecer na agência para enfrentar filas desnecessárias ou ser assediado por funcionários e gerentes oferecendo produtos que não são interessantes para a minha saúde financeira (na última vez que estive em uma agência bancária me ofereceram a contratação de um título de capitalização, é mole?).

Segundo: Negocie a anuidade do seu cartão de crédito ou migre para um cartão com isenção da mesma. É bem comum que nos primeiros anos de utilização a anuidade do seu cartão possua um desconto, e a partir do segundo ano este valor é reajustado para os patamares “regulares” e você acabará se deparando com um valor 4 vezes maior do que o ano passado na fatura. Sem querer se incomodar e já acostumado com a utilização deste cartão, você acaba aceitando aquele valor para evitar os constrangimentos da troca do cartão ou negociação da anuidade. O que as pessoas parecem não saber é que o seu cartão de crédito não precisa necessariamente ser vinculado ao banco com o qual você tem conta-corrente. A concorrência é acirrada, pesquise através da internet por opções mais saudáveis para o seu bolso. Existem ótimas opções, como por exemplo, o cartão “Santander Free”, livre de anuidades, inclusive para não-correntistas, basta realizar uma compra por mês. Recentemente, alguns bancos, como o Itaú, parecem não estar mais oferecendo a isenção de anuidade para os clientes, mesmo para aqueles que já usufruíam do benefício. Minha recomendação é efetuar a migração para outra operadora, e quem sabe assim a coisa mude de figura um dia.

Terceiro: Aproveite a sua nova vida livre (ou quase) de taxas. É isso mesmo, acabou. Ao se livrar da mensalidade da conta-corrente e da anuidade do cartão é bem provável que você já tenha mitigado no mínimo 90% dos seus custos anuais com taxas e tarifas bancárias, o que já está de bom tamanho. Minha recomendação agora é que, para que o benefício se torne visível, você separe o valor que gastaria com estas taxas para “torrar” em algo prazeroso para você. Afinal de contas, você, o mais novo super-heroí das finanças, deu um grande passo para salvar alguns milhares de reais ao longo de sua vida e merece uma recompensa imediata por isto. Ingressos para o cinema, uma roupa nova ou até mesmo a formação de uma reserva para utilizar este valor com as tarifas de investimento das corretoras (que são taxas “boas” pois fazem parte do caminho para você ficar mais rico e não mais pobre). Você decide o que fazer com este valor que vai sobrar no orçamento, afinal, este dinheiro agora é seu e não mais do banco.

Anúncios

7 comentários sobre “Como eu consegui me livrar de tarifas, taxas e anuidades bancárias em 2 passos

  1. Excelente post, Guru!

    Interessante como medidas simples têm o poder cumulativo de fazer sobrar muito dinheiro ao final de um ano. Quando raciocinamos em termos anuais, dá pra ter uma noção bem ampla dos problemas resultantes desses pequenos atos do dia a dia!

    • Exatamente Guilherme,

      Os dois passos podem te consumir uma tarde na fila do banco ou algumas horas no telefone, mas os benefícios serão de longo prazo. Melhor gastar este tempo agora do que deixar que o banco tome seu dinheiro (e tempo é dinheiro) depois ao longo dos anos. Talvez não seja possível se livrar de todas as tarifas, mas acredito que grande parte delas são dispensáveis.

      Abraço!

  2. Acabei de ver o seu blog no Valores Reais e gostei desse artigo!
    Vale muito a pena negociar as tarifas e a criação da conta essencial favoreceu muito nesse sentido.
    Eu tinha o Itaucard simples há mais de 10 anos, mas há 2 anos não quiseram mais negociar um maior desconto – que geralmente ficava em torno de 60, 70% – e então cancelei o cartão. Achei até incrível não dificultarem o cancelamento, coisa que sempre fizeram quando eu solicitava um maior desconto na anuidade.
    Por enquanto optei por não ter mais esse tipo de cartão. Quando vou fazer uma compra, antes transfiro o valor -um pouco a mais – da cc para uma conta poupança que uso para pagar as contas na função débito. Ainda não tenho muita confiança em passar o cartão da cc nessas máquinas de estabelecimentos comerciais, por isso a poupança acabou sendo o mais adequado para mim.

    Sucesso ao seu blog!

    • Obrigado Rosana,

      Seu depoimento é um exemplo que corrobora o que eu disse no post. Minha situação foi extremamente parecida com a sua. Também já fui cliente Itaucard e quando engrossaram para negociar a anuidade, cancelei o cartão de crédito deles e migrei para o Santander Free. Também não dificultaram o meu cancelamento, pelo menos isto.
      Sobre a sua preocupação com a segurança, ela é extremamente válida. Procure ter um cartão de débito com CHIP que a segurança é bem maior. Se você não utiliza a função crédito, acredito que é super seguro sim passar o cartão nas máquinas. Você pode ir começando aos poucos até pegar mais confiança.

      Sucesso para todos nós!

      Abraços e mais uma vez, obrigado!

  3. Meus cartões tem chipo, mas ainda não consegui confiar de verdade…
    É como você disse: aos poucos vou pegando confiança.
    O Itaucard fez isso com muitos clientes. E no final perderam muito com essa atitude de querer lucrar sempre mais. O dono da loja já paga para usar a máquina. Por que temos que pagar também? Ou seja, eles ganham duplamente!

    Abraços!

    • É verdade Rosana, e é claro que as taxas pagas são repassadas ao consumidor no preço final, ou seja, pagamos duplamente e eles ganham duplamente. Na concepção que eu desenvolvi, é um absurdo pagar anuidade de cartão de crédito. O dia que eu não tiver mais opções sem anuidade vou abandonar esta ferramenta e ficar somente com o débito mesmo.

      Eu utilizo cartão com e sem chip há alguns anos e até hoje não tive problemas. Você pode começar utilizando regularmente naquela grande rede de supermercados de sua confiança, que com certeza é mais seguro do que algum estabelecimento mediano. Também é sempre válido sacar dinheiro e utilizar o caixa eletrônico em agências mais movimentadas, pois há menos risco de assalto/roubo e de existirem máquinas “chupa-cabra” instaladas por fraudadores.

      É isso aí, grande abraço!

Escreva seu comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s