Como eu consegui me livrar de tarifas, taxas e anuidades bancárias em 2 passos

No post anterior, falei sobre a importância de mitigar os custos envolvidos nas operações em bolsa de valores e como isso é importante para o investidor iniciante. Mas de que adianta procurar uma corretora que não cobra taxa de custódia sobre as ações e pagar R$20 em mensalidade do pacote de serviços do seu banco que você nunca vai utilizar?

Créditos da imagem: fotolia.com

Créditos da imagem: fotolia.com

Façamos uma conta rápida e conservadora. Se alguém pagar R$10 de mensalidade de pacotes de serviços de conta-corrente no banco, mais R$60 de anuidade no cartão de crédito, mais seis operações de DOC/TED no valor de R$7 cada durante um ano, este suposto azarado terá desembolsado R$222 somente com taxas bancárias, em um único ano.

Continuar lendo

Anúncios

“Como entrar na bolsa?” Ou dicas para iniciantes no investimento em ações.

Se você está entrando, ou quer entrar, na bolsa de valores para diversificar, aprimorar ou iniciar seus investimentos, este post servirá como um guia para explicar, o que eu acredito ser, a melhor maneira de entrar na bolsa de valores, mitigando riscos e os custos envolvidos.

Imagine um jovem de 18 anos que está aprendendo a dirigir. Aonde ele vai levar o carro para praticar a direção? Na rodovia mais movimentada que corta a cidade ou na rua tranquila e deserta do bairro perto de casa? É claro que qualquer um nesta situação escolheria a segunda opção, pois o risco é menor.

Da mesma forma, se você está iniciando na bolsa, deve buscar opções que proporcionem menor risco, como se fosse um motorista iniciante. Diversificar é um dos grandes trunfos que o investidor pode utilizar para diminuir os riscos do investimento em ações.

Continuar lendo

[Mini-Post] INSS: Hoje você paga, amanhã você não recebe.

No post anterior falei sobre as pirâmides financeiras que têm assombrado a economia popular brasileira. O mini-post de hoje também  apresenta um esquema insustentável do qual, infelizmente, não podemos fugir. O fato é que, qualquer um que esteja preocupado em ter uma aposentadoria tranquila, deve saber que não pode contar exclusivamente com a previdência pública do INSS. O rombo nas contas da previdência está atingindo níveis históricos e todo o valor arrecadado com as contribuições é exclusivamente utilizado para pagar os atuais beneficiários (e ainda não é o suficiente). Ou seja, não há acumulação de poupança nem agregação de valor no sistema atual. O benefício dos contribuintes de hoje depende da entrada de novos contribuintes amanhã, exatamente como em um esquema de pirâmide. A tendência então, é que o valor do teto do benefício se aproxime cada vez mais do salário mínimo, processo que já vem ocorrendo ao longo dos últimos anos, conforme o gráfico abaixo.

Previdencia-do-INSS-teto

Isso significa que deveríamos deixar de pagar a nossa contribuição? Não, o INSS ainda é importante pois os prazos de carência para recebimento de diversos dos benefícios é pequeno, até mesmo inexistente em alguns casos. Portanto, se a sua contribuição não é descontada automaticamente, recomendo que continue efetuando os pagamentos, afinal, segurança nunca é demais.

E se eu quiser uma aposentadoria mais confortável, sem depender do futuro incerto do INSS? Nesse caso, deve-se procurar um plano de previdência privada, ou você mesmo pode montar um plano particular de previdência através dos produtos de investimento disponíveis no mercado. As vantagens e desvantagens de cada uma destas abordagens ficam para um próximo post.

O velho golpe em novo disfarce

Já fazem quase quatro anos que o tema foi abordado, de forma bem didática, em um episódio do seriado “A grande família” na TV Globo. Hoje, aquele longínquo capítulo exibido na televisão soa quase como uma premonição do “boom” de esquemas de pirâmides financeiras que emergiram e ainda estão emergindo na internet, e que recentemente, tamanha a assustadora proporção tomada por tais fraudes, chegaram até a veícular propaganda no horário do programa “Fantástico” na mesma TV Globo, e renderam até reportagem especial sobre a intervação da justiça no maior destes esquemas, a empresa Telexfree.

Continuar lendo